poesia e espiritualidade.
O último andar

Palavra versus Silêncio IV
um poema a cada dia vinte e um.
 
21 de junho de 2021
 
São Francisco Marto disse um dia à Lúcia e à Jacinta: "Daqui a pouco, já Nosso Senhor me leva pró pé dele e, então, vejo-O sempre". Era o grande desejo do coração deste menino: estar sempre perto de Nosso Senhor e olhar para Ele. O seu coração de criança desejava ardentemente o Reino que lhe estava prometido, de tal forma que se lhe falássemos do Céu, o último andar, o Francisco diria: "é lá que eu quero morar"!
Que ele nos ensine a tornarmo-nos como crianças, pois, como nos disse Jesus, é a elas que pertence o Reino (cf. Mt 19,14).
 
 
O último andar
 
No último andar é mais bonito:
do último andar se vê o mar.
É lá que eu quero morar.
 
O último andar é muito longe:
custa-se muito a chegar.
Mas é lá que eu quero morar.
 
Todo o céu fica a noite inteira
sobre o último andar.
É lá que eu quero morar.
 
Quando faz lua, no terraço
fica todo o luar.
É lá que eu quero morar.
 
Os passarinhos lá se escondem,
para ninguém os maltratar:
no último andar.
 
De lá se avista o mundo inteiro:
tudo parece perto, no ar.
É lá que eu quero morar:
no último andar.
 
Cecília Meireles
 
 
____

Voz de Constança Paiva Couceiro
Seleção de Ana Felício, asm