poesia e espiritualidade.
O tempo

PALAVRA versus SILÊNCIO V
um poema a cada dia vinte e um.
 


21 de julho 2021

Temos necessidade de trazer à memória quem somos, o quanto já vivemos essa memória por vezes é tão redentora como vivida com ressentimento, assim dexemo-nos interpelar pelo tempo que nos é dado a viver, maravilhemo-nos com o tempo do nosso crescimento em Deus. 

 

o Tempo

A memória bate, como pêndulo, 
as coordenadas do tempo e do espaço
Passado, presente, futuro
Ontem, hoje, para sempre 

Amanhece 
Coração-peregrino
Que percorre desfiando
O processo da pergunta
E maravilhado
Num profundo mistério
Acolhe o tempo da resposta 
Que sem decifrar - porque o mistério não se decifra
espera.

Entardece
Coração-atento
Enfrenta a pressa e a angústia
Exerce-se no tempo e na memória
E nele habita o desejo
De se transformar 
em árvore frondosa
Que espera paciente
O tempo do seu fruto.

Anoitece
Coração-trespassado
Pela morte e pela vida
No caminho da Paz. 

Voz de Sofia de Portugal
Poema de Sophie Alves, asm